“A perseverança é um dos elementos-chave para administrar um negócio,” – Paul Nyambe

É tudo uma questão de visão de longo prazo

Se o sucesso é o objetivo, então pode-se dizer que a perseverança é o motor. Poucos indivíduos são capazes de alcançar grandes feitos sem primeiro superar os obstáculos que se colocam no seu caminho.

Muitas pessoas que decidiram começar por conta própria estão familiarizadas com a parte mais difícil do empreendedorismo, que é continuar a trabalhar numa ideia depois que o entusiasmo inicial de lançar um negócio passa.

Perseverança no Empreendedorismo

Embora a genialidade e a criatividade sejam importantes e celebradas principalmente nas fases de idealização da fase de construção do produto, a perseverança é aquela qualidade necessária para o trabalho e as reiterações inevitáveis para chegar com sucesso ao ponto desejado.

Nesta entrevista, a Fundação Tony Elumelu conversa com Paulo Nyambe, Empreendedor zambiano e beneficiário do TEF 2018. Paul fala-nos sobre a sua empresa Zamgoat, um agronegócio zambiano inovador, orientado para o mercado e socialmente inclusivo, que apoia a subsistência rural com o processamento e distribuição de produtos e serviços caprinos de qualidade.

O crescimento de Paulo

Para Paul, muita coisa mudou e o seu agronegócio cresceu ao longo dos anos em termos de capacidade de produção, penetração no mercado e impacto nos pequenos agricultores. “Na época em que participei do Programa de Empreendedorismo TEF, em 2015, nosso negócio era bem pequeno”, afirma. “Tínhamos pouco mais de 18 anos e tínhamos vendas de $12.000. Agora, geramos vendas de $40.000 em média em receita anual.”

Administrando um negócio de sucesso

“Acho que começar começa com a compreensão de quem você é, suas realidades e o que você quer da sua vida. No meu caso, foi identificar quem eu era na altura em que comecei a Zamgoat em 2012, o ambiente económico do país e a lacuna no mercado.” Paul aponta o sucesso de Aliko Dangote como empresário como uma inspiração para ele e reflete sobre como a perseverança lhe permitiu continuar trabalhando em seu negócio.

“É um dos elementos-chave da gestão de uma empresa”, diz ele. “Administrar um negócio não acontece em linha reta; nem sempre você acerta desde o início, então você precisa ter paciência, precisa ter mais agilidade para lutar quando as coisas não funcionam conforme o planejado e precisa ter uma visão de longo prazo.”

Colhendo recompensas de negócios

A maioria das empresas sofre prejuízos até atingir o ponto de equilíbrio. Para Paulo, trata-se da liberdade de determinar o seu próprio destino económico. “Administrar meu próprio negócio, além de me permitir cuidar das necessidades pessoais, também me dá a melhor oportunidade de criar para o futuro”, afirma.

“É também o fato de poder ajudar outras pessoas através do meu negócio. Estamos agora a melhorar a vida dos pequenos agricultores nas zonas rurais da Zâmbia.”

As pequenas e médias empresas necessitam de grande apoio para terem sucesso, e Paul diz-nos que, para conseguirem manter o seu negócio em funcionamento, os empreendedores precisam de ter uma boa métrica para julgar as pessoas que acrescentam às suas equipas e círculos, e também precisam para entender o ecossistema empreendedor ao redor. “Como empresário nesta parte do mundo, poderá ter de olhar para além do âmbito tradicional do financiamento, onde os bancos tradicionais não parecem ser amigáveis para as pequenas empresas.”

Apenas começando

Para permitir um ambiente mais propício onde as empresas impulsionem a economia, os governos devem envidar mais esforços no desenvolvimento de políticas para defender o desenvolvimento empresarial local.

“É importante ressaltar que os negócios são a forma mais sustentável de gerar desenvolvimento na economia”, afirma Paul. “Qualquer que seja o seu negócio, você precisa olhar além de si mesmo, do seu interesse próprio, e abrir um negócio com o objetivo de gerar também impacto social ou ambiental. Dessa forma, mesmo quando você passa por uma fase difícil, a motivação o mantém em movimento. Acho que é hora de os empreendedores mudarem o foco dos negócios como meio de lucro para os negócios como meio de gerar impacto social.”

O futuro do Zamgoat

Onde está o futuro do Zamgoat? Paul acredita que há um enorme potencial para a Zamgoat ser reconhecida como uma referência no setor e crescer em todo o mundo. “O que vejo no Zamgoat nos próximos anos é ser o rei da indústria caprina na Zâmbia e no mundo.”

Obrigado pelo vosso feedback!

Juntar-se à nossa lista

Subscreva a nossa lista de distribuição e receba material interessante e actualizações na sua caixa de correio eletrónico.

Obrigado por subscrever.

Alguma coisa correu mal.

JUNTE-SE AO CÍRCULO TEF

Mantenha-se atualizado sobre os nossos empresários, eventos, investigação e muito mais.

GIVE US FEEDBACK
link próximo

GIVE US FEEDBACK
link próximo

LEARN ABOUT THE TEF IMPACT
link próximo

ACTUALIZAÇÃO DA POLÍTICA DE PRIVACIDADE

Efectuámos alterações à nossa Política de Privacidade para proteger melhor os seus dados pessoais! Reveja e compreenda a nossa política actualizada Política de privacidade

Concordo com a Política de Privacidade actualizada. Compreendo que a utilização dos meus dados pessoais pela Fundação Tony Elumelu será feita de acordo com a Política de Privacidade actualizada.

Enviar isto a um amigo